fbpx

ERGONOMIA NO TRABALHO

ERGONOMIA NO TRABALHO
Avalie

Quando a gente fala de postura na frente do computador, a primeira associação é a coluna. Além dela, existem outros benefícios como a produtividade. Um corpo sem dores é um corpo mais disposto a enfrentar a jornada de trabalho. Na matéria de hoje iremos entender os benefícios de uma boa postura no trabalho.

Uma pessoa pode trabalhar até 2.030 horas por ano, o que significa que o corpo acaba passando mais horas por dia dedicado ao trabalho do que descansando. Pensando nisso, a ergonomia no trabalho é uma grande aliada da empresa, uma vez que consegue tornar essas horas de trabalho mais produtivas.

Diante deste cenário econômico instável, a produtividade e o bom desempenho dos colaboradores fazem toda a diferença para manter a lucratividade do negócio.
Você deve estar se perguntando, como aumentar sua produtividade a partir da ergonomia?

Vamos começar entendendo o que é a ergonomia e como ela não só impacta diretamente a produtividade, mas também o bem-estar, saúde e a sua segurança.

 

O que é ergonomia?

O termo ergonomia deriva do grego: ergon, que significa trabalho, e nomos, que significa leis ou normas. Portanto, ergonomia é a ciência que estuda as condições de trabalho.
Na prática, podemos afirmar que a ergonomia estuda, desenvolve e aplica regras e normas a fim de organizar o trabalho e torná-lo compatível com as características físicas e psíquicas do ser humano. Para tal, os especialistas buscam conhecer o perfil dos colaboradores, o tipo de atividade exercida e a quais riscos ergonômicos à saúde física e mental a equipe está exposta.
O mais recomendado é que uma ergonomia seja feita por um profissional qualificado, afinal, cada ambiente, empresa e função possuem suas especificidades.
Observando todas as características da empresa, será possível traçar as condições ideais para a execução das tarefas, e apontar algumas mudanças e adaptações necessárias no ambiente de trabalho.

 

A Norma Regulamentadora NR 17

A Norma Regulamentadora nº 17 foi desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) junto de entidades trabalhistas (sindicatos e associações), fazendo com o que a ergonomia seja reconhecida e exigida por lei como fator determinante para a saúde, segurança e qualidade de vida no trabalho. O aumento de casos de doenças ocupacionais por falta de condições adequadas de trabalho motivaram sua criação.
Essa regulamentação veio para apoiar trabalhadores e empresários, para diminuir os impactos que os riscos ergonômicos trazem ao ambiente corporativo. Podemos destacar a alta incidência de doenças ocupacionais, acidentes de trabalho, afastamentos e queda de produtividade.
A NR 17 tem como objetivo estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às condições psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar o máximo de conforto e segurança e um desempenho eficiente. Ela é mais que uma exigência legal — é uma verdadeira ferramenta de apoio à gestão de pessoas.
A Norma Regulamentadora exige que os empregadores realizem a Análise Ergonômica do Trabalho, também conhecida pela sigla AET.

Para levantar as informações necessárias, é preciso levar em conta alguns aspectos:
> as normas de produção;
> o modo operatório;
> a exigência de tempo;
> a determinação do conteúdo de tempo;
> o ritmo de trabalho;
> o conteúdo das tarefas.

Depois de observar e avaliar os aspectos, chegou a hora de documentar, por meio da AET, as relações existentes entre as doenças, acidentes ocupacionais e a produtividade com as condições laborais, os sistemas e a organização do trabalho. Considerando isso, o documento deve conter as seguintes informações:
> levantamento de materiais;
> transporte de cargas;
> descarga de materiais;
> adequação ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho;
> organização do trabalho.

Agora que entendemos o que é ergonomia, e conhecemos as suas normas regulamentadoras. Voltamos ao raciocínio inicial. Uma ergonomia quando bem aplicada em um espaço corporativo, pode proporcionar uma série de benefícios, tanto aos funcionários, quanto à empresa. Vamos falar um pouco destes benefícios?

PREVINE DOENÇAS

Uma série de doenças podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho. Isso acontece frequentemente quando o funcionário realiza movimentos repetitivos ou a partir de posturas inadequadas ao longo do dia.
Somando isso, em longo prazo, algumas complicações podem aparecer, tais como as dores crônicas na região lombar, enxaquecas, tendinites ou a LER (Lesão por Esforço Repetitivo). Cuidado, isso é preocupante!
Para contornar o cenário, os empresários podem contar com a ajuda da ergonomia no ambiente de trabalho. Seguindo essa prática, os equipamentos, móveis e demais detalhes são todos ajustados, com a finalidade de oferecer ao colaborador um espaço confortável e adequado, evitando o desenvolvimento de tais patologias.
Mas, como fazer isso?
> invista em cadeiras que tenham o assento ajustável. É importante lembrar que os pés do indivíduo precisam ficar completamente apoiados no chão.
> instale mesas e balcões que fiquem posicionados na altura da cintura dos profissionais;
> os computadores, monitores e outros aparelhos eletrônicos devem ser posicionados na altura da cabeça do funcionário. Para facilitar o processo, procure adquirir equipamentos ajustáveis;
> trabalhadores que exercem as suas funções em ambientes com grandes níveis de ruídos devem trabalhar com abafadores de som. Em geral, esse cuidado ocorre em indústrias;
> Isso se aplica também para colaboradores que trabalham manuseando produtos químicos. Nesse caso, é indicado o uso de máscaras próprias de proteção.

 

AUMENTA A PRODUTIVIDADE DA EQUIPE

Empresas que já investiram em uma ergonomia geral, provavelmente já notaram que, quando a empresa e o ambiente oferecem as ferramentas e um conforto maior na execução das tarefas, o resultado vem de maneira efetiva. A produtividade aumenta!
Em alguns casos, basta fazer alguns ajustes simples no espaço, como trocar a iluminação, cadeiras ou mesas de um escritório, e pronto, a diferença será enorme.

Faça um teste, aproveite este período em que todos estão em casa, e faça algum formulário, questione seu time, o que eles acham do ambiente de trabalho? Como eles se sentem em relação ao conforto? Caso você não seja o chefe, proponha este movimento e leve para seu superior em questão.

Algumas atitudes são cruciais para influenciar o desempenho, a motivação e o comprometimento dos colaboradores com a sua empresa. O resultado disso? Com um ambiente completo e preparado, é possível diminuir a taxa de erros ou trabalhos mal executados, uma vez que toda a equipe estará mais concentrada e determinada a cumprir a sua função.

A longo prazo, a empresa só tende a ganhar: melhores resultados e um excelente reconhecimento em seu segmento de atuação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − dois =

Main menu
Top